Governo do Distrito Federal
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
14/07/23 às 12h08 - Atualizado em 14/07/23 às 12h15

Castelinho do Parque da Cidade passará por reforma estrutural

Serão investidos cerca de R$ 250 mil para a restauração do equipamento público. O reparo contará com substituição do concreto e da armadura de ferragem, além da pintura

 

Um dos espaços mais icônicos do Parque da Cidade, o Castelinho será reformado. Serão investidos cerca de R$ 250 mil para restaurar o equipamento público. O local foi interditado para o início dos trabalhos e os brinquedos danificados foram retirados.

 

A decisão pela reforma veio após a visita semanal do corpo técnico do Parque da Cidade. “Foram identificados alguns problemas estruturais no Castelinho. Imediatamente solicitamos à empresa de manutenção para que fosse feito o isolamento e a interdição do espaço para a recuperação”, explica o chefe da Assessoria de Obras e Infraestrutura da Secretaria de Esporte e Lazer (SEL), Carlos Mohamed.

O serviço envolverá a substituição do concreto danificado e das armaduras de ferro enferrujadas. Também será feito um reforço da estrutura com acréscimo de concreto e ferro.

 

Será feita a substituição do concreto danificado e das armaduras de ferro enferrujadas, além do reforço da estrutura com acréscimo de concreto e ferro | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

“Já começamos com o trabalho de retirada dos brinquedos que não podem ser recuperados. Na próxima segunda-feira começaremos com a parte estrutural”, afirma. “Estamos correndo junto à empresa para fazer tudo rápido e irmos liberando os brinquedos aos poucos”, completa Mohamed. A reforma será executada por dez funcionários que trabalharão de segunda-feira a sexta-feira.

 

Desde o começo do ano, o Parque da Cidade recebe reparos nos brinquedos. Já foram mais de 15 equipamentos voltados para o público infantil restaurados na área do Parque Ana Lídia.

 

Além disso, o Governo do Distrito Federal (GDF) trabalha para a implantação de um playground inclusivo com brinquedos acessíveis e piso emborrachado. “Já fizemos um levantamento e estamos terminando os estudos para fazer a compra dos brinquedos”, adianta Carlos Mohamed.

 

Agência Brasília