Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/09/21 às 16h34 - Atualizado em 24/09/21 às 12h09

Atletas do Compete Brasília ganham mais medalhas nas Paralimpíadas Universitárias

Evento ocorreu em São Paulo com a participação de dez esportistas beneficiados pelo programa do GDF 

 

 

Dentro do clima dos Jogos Universitários Brasileiros, que ocorrem de 10 a 18 de outubro na capital federal, outro importante campeonato dentro do universo estudantil aconteceu em setembro: as Paralimpíadas Universitárias 2021. Do Distrito Federal, o Compete Brasília, programa da Secretaria de Esporte e Lazer (SEL), promoveu a participação de dez esportistas, que retornaram com bons resultados, nesse evento que marcou o início de um novo ciclo paralímpico.

 

Pela natação paralímpica, Élcio Cunha Pimenta Júnior, que participa também do programa Bolsa Atleta, alcançou grandes resultados. O jovem, que compete pela Classe S 11 (com deficiência visual), levou três medalhas de ouro nos 50 metros livre, 100 metros livre e 100 metros borboleta, sendo que nesta última, conseguiu sua melhor marca pessoal, ao finalizar a prova em 1:38.37. “Agradeço a minha família, ao meu técnico pela parceria de sempre, aos meus apoiadores e parceiros e todos os amigos que torceram e vibraram com meus resultados, muito obrigado”, agradeceu.

 

Ainda na natação, mais quatros beneficiados do Bolsa Atleta medalharam no evento. Giulia Gabriele Alves de Oliveira, da Classe S8 (limitações físico-motoras), conquistou três medalhas de prata, nos 50m livre, 100m borboleta e 100m livre. Claudio Irineu da Silva Junior, da Classe S10 (limitações físico-motoras), ficou com a terceira colocação nos 100m livre e a quinta nos 50m livre.

 

Gabriel Koga Mota, da Classe S9 (limitações físico-motoras), levou o segundo nos 100m peito e terceiro nos 100m livre. João Pedro Sales Bispo, da Classe S7 (limitações físico-motoras) conseguiu três terceiros lugares nos 100m costas, 50m livre e 100m livre. No parabadminton, pela Classe WH2 (cadeiras de rodas), na categoria simples feminino, a brasiliense Aline de Oliveira Cabral ficou em segundo lugar.

 

Atletismo

Nesta semana, O Instituto Bombeiros de Responsabilidade Social (IBRES), responsável pela gestão pedagógica do Centro Olímpico e Paralímpico (COP) da Estrutural levou para a SEL os dois corredores, da Classe T11 (deficiência visual), Matheus Pereira Silva e Igor Nunes Miranda da Silva, acompanhados de seus respectivos atletas-guias Halley Pereira Cunha e Leonardo Willrich Padilha Padovany, onde foram homenageados pelas recentes conquistas em São Paulo. Ambos treinam na unidade esportiva da Estrutural.

 

Matheus brilhou nas Paralimpíadas Universitárias, onde conseguiu duas pratas, nos 100m e 400m, além do quarto nos 200m. Antes de encontrar a parceria com o Halley em 2012, ele nadava na Universidade Católica, por um projeto que atendia pessoas com deficiência, quando foi questionado se havia interesse em arriscar os primeiros passos no atletismo. Aceitou e não parou mais e chegou a bater recordes em edições passadas das Paralimpíadas Escolares. Agora o foco é treinar para as próximas competições. “Meu objetivo é treinar para pegar índices internacionais”, disse o corredor.

 

Já Igor Nunes Miranda da Silva passou por todos os lugares do pódio neste torneio: primeiro nos 400m, segundo nos 200m e terceiro nos 100m. A parceria com Leonardo é recente, assim como a sua escalada no atletismo, que começou há três meses. “Eu percebi que era uma forma, para nós que temos deficiência visual, voltar a se sentir livre, dá uma sensação imensa de liberdade. Geralmente nós ficamos muito refém de ter auxílio de outras pessoas. Auxílio que é positivo, claro. Mas não há como descrever a sensação da corrida”, avalia.

 

ASCOM/SEL