Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
12/07/19 às 15h20 - Atualizado em 12/07/19 às 15h21

Compete Brasília leva atletas para Mundial de Desportos Aquáticos

COMPARTILHAR

Dois atletas brasilienses de saltos ornamentais representam o Brasil na 18ª edição do Mundial de Desportos Aquáticos, que ocorre de 12 a 28 de julho, em Gwangju, na Coreia do Sul. Os integrantes da seleção brasileira Kawan Figueredo, 17 anos, e Andressa Mendes, 22, participam, pela primeira vez do torneio – considerado o principal termômetro para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 – por meio do programa Compete Brasília, da Secretaria de Esporte e Lazer (SEL).

 

Kawan Figueredo, que iniciou na modalidade no Centro Olímpico e Paralímpico do Gama, compete em todas as provas individuais, entre elas a plataforma de 10 metros, plataforma sincronizada e nos trampolins de 1 e 3 metros. Ele tem no currículo dois pan-americanos, um sul-americano e um mundial. “Quero fazer um excelente torneio e pegar uma final”, avalia. A campeã sul-americana Andressa Mendes entra na disputa da plataforma de 10 metros com o propósito de “alcançar o melhor resultado”.

 

O técnico Ricardo Moreira acompanha a dupla no torneio. Após o Mundial, a turma parte rumo aos Jogos Panamericanos de Lima, no próximo mês. No próximo ano, a Copa do Mundo de Saltos Ornamentais, em Tóquio, será a última oportunidade para garantir uma vaga nos Jogos Olímpicos. Outro atleta que começou sua história nos saltos ornamentais no COP do Gama é Luis Felipe Santos que, entre outras provas, tenta medalhar no trampolim de 1 metro, no trampolim sincronizado e no trampolim misto de 3 metros.

 

A delegação brasileira, formada por 60 atletas, ostenta representantes em todas as seis modalidades – natação, maratonas aquáticas, saltos ornamentais, polo aquático, high diving (mergulho profundo) e nado artístico. O desafio verde e amarelo é manter o nível elevado das conquistas das últimas edições, quando o desempenho na natação e nas maratonas aquáticas renderam várias medalhas ao país. Neste ano, o Mundial Aquático contabiliza 4,5 mil inscritos de 190 países.

 

Natação

O Compete Brasília também leva a delegação de natação paralímpica, formada por oito atletas e mais comissão técnica, neste fim de semana (13 e 14), no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, para competir na 2ª Etapa Circuito Loterias Caixas de Natação. Entre eles, Elcio Cunha Pimenta, de 16 anos, que na etapa passada, realizada no início do ano, disputou cinco provas e ficou com a medalha de bronze em três delas.  No currículo do jovem atleta, nos Jogos Parapanamericanos de Jovens em 2016, uma medalha de ouro, uma de prata e uma de bronze.

 

Elcio, que faz parte da seleção brasileira sub-18,  quer melhorar as marcas e conquistar novas medalhas. “É muito importante participar dessas competições fora de Brasília porque a gente tem contato com outros atletas e também nossos ídolos. É muito bom ter esse intercâmbio. Agora eu quero melhorar meu tempo. Pódio e uma boa colocação na prova é consequência de um trabalho bem feito”, contou o nadador que tem como ídolo o atleta paralímpico Phelipe Rodrigues.

 

Representando as meninas, Giulia Gabriele, 17 anos, também conseguiu subir no pódio na etapa anterior. “Na primeira etapa eu nadei quatro provas e terminei em segundo, terceiro e as outras duas em quarto. Agora eu vou para a competição para melhorar meu tempo”, disse a atleta. Giulia tem como objetivo participar dos Jogos Paralímpicos.

 

Um dos mais experientes é Gabriel Barradas, de 19 anos. Ele começou a nadar aos 9 anos no Centro Olímpico e Paralímpico de São Sebastião. Foi lá que ele começou a dar as primeiras braçadas inspirados nos ídolos Daniel Dias e Clodoaldo Silva. “Eu já participei de várias competições. Eu adoro viajar e conhecer outros atletas. Participar de torneios como o Circuito Caixa é uma experiência que só enriquece meu currículo como atleta”, disse.